Carregando
Facebook SINDPOL/AL Twitter SINDPOL/AL Instagram SINDPOL/AL WhatsApp SINDPOL/AL YouTube SINDPOL/AL (82) 3221.7608 | 3336.6427

Sindpol visita policiais civis da Apocal
Sindicato pleiteia cursos com foco na investigação

Por Imprensa (segunda-feira, 20/08/2018)
Atualizado em 20 de agosto de 2018

A diretoria do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) se reuniu com o diretor da Academia da Polícia Civil de Alagoas (Apocal), delegado Antônio Carlos Lessa e os policiais civis na quinta-feira (16), na Divisão Especial de Investigação e Capturas – Deic, para pleitear a realização de cursos com foco na investigação.

 

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário elogiou o trabalho que o delegado Carlos Lessa e os policiais civis vêm realizando na Apocal, revelando que nunca havia sido constatado a Academia tão atuante.

 

O dirigente ressaltou os benefícios das atividades geradas pela Academia aos policiais civis e pleiteou ao diretor que os próximos curso sejam com foco na questão de investigação. Ele pontou a necessidade da qualificação para os policiais civis. “Existem colegas da Polícia Civil que, há muito tempo, não pegam em armamento”.

 

O policial civil José Vonie Araújo destacou que vários cursos de capacitação estão disponíveis aos policiais civis. “Hoje o policial só não se capacita se não quiser”. E revelou que vários cursos estão sendo realizados no interior do Estado. “Mesmo que, algumas vezes, não sendo bem recebidos por alguns colegas, que indagam a necessidade das capacitações, os cursos em geral, vem sendo bem proveitoso”.

 

De acordo com a 2ª vice-presidente do Sindpol, Arlete Bezerra, os policiais civis, que trabalham no interior de Alagoas, acabam ficando esquecidos. “É importante a capacitação para os policiais, que moram no interior. É preciso interiorizar e dar oportunidade para novos aperfeiçoamentos”, defendeu.

 

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, declarou que o desinteresse de alguns policiais civis para a realização das capacitações, vem da desmotivação e desconhecimentos dos níveis dos cursos ofertados.

 

O delegado Antônio Carlos Lessa explicou que quando assumiu o gerenciamento da Academia da Polícia Civil de Alagoas, percebeu que muitos policiais civis do interior não haviam participado dos cursos de aperfeiçoamento.  Segundo o delegado, foi criado um planejamento de trabalho com os policiais civis para a realização de cursos nos interiores de Alagoas.

 

O delegado alerta para o perigo de armas manuseadas sem o conhecimento adequado. “A arma é um instrumento de trabalho do policial, que é fundamental a manipulação apropriada. Além do risco de vida, algum acidente pode ser fatal”.

 

Capacitações

De acordo com policial civis José Vonie Araújo já foram realizados vários cursos de capacitação na nova gestão. No ano de 2016, foram capacitados 180 profissionais com curso de defesa policial. No ano de 2017, foram 175 profissionais capacitados nos cursos de Defesa Pessoal e Cursos de Alinhamentos.

 

No primeiro semestre de 2018, já foram capacitados 427 profissionais, com curso de Formação policial (71 profissionais), PPE – Procedimentos de Policial eletrônicos (194 profissionais), cursos Procedimentos Policial BO (90 profissionais), CAO – Curso de alinhamento Operacional 1 e 2 (44 profissionais) e curso de Inteligência e Operação Policial (28 profissionais). Em dois anos, 761 profissionais foram qualificados.

 

Cursos

O policial civil Alexandre Simões informa que aceitou o convide para ser coordenador de ensino com liberdade total para tomar as decisões dos cursos de capacitações. Simões, que há oito anos se dedica à qualificação de policiais civis, conta que uma das deliberações foi levar o curso de capacitação para o interior de Alagoas.

 

Alexandre Simões percebeu que é mais fácil levar 2 ou 3 instrutores e capacitar 20 policiais civis no interior do que trazer eles para a capital.

 

De acordo com o coordenador, atualmente, a Polícia Civil está melhorando sua estruturada com relação à aquisição de munição, equipamento de menor potencial ofensivo, arma de fogo. “Porém não basta apenas o equipamento, é necessário capacitar os policiais”, acrescenta.

 

Alexandre Simões explica que quando assumiu a coordenação, em novembro de 2017, foi criado um cronograma com vários cursos e treinamento de capacitações para os policiais do interior. Segundo o policial civil, o cronograma foi aprovado pelo CONSUPOC/AL com início em fevereiro desde ano nos interiores, como nome de “Polícia Capacitada”. A equipe visitou as dez Delegacias Regionais e o CISP da cidade de Viçosa.

 

O policial civil revela que os cursos acontecem de forma democrática por ordem de inscrição através do e-mail: inscricoesgapocal@gmail.com. “No primeiro dia do mês, que ocorre o curso, o policial se inscreve através do e-mail, informando suas informações pessoais”. Ele alerta que as vagas são preenchidas por ordem de inscrição, não havendo a possiblidade de ser preenchida por indicação.

 

Estrutura

O policial civil José Vonei revelou que a maior dificuldade para a realização dos cursos é a questão financeira. Segundo ele, a Academia não recebe verbas adicionais para a realização dos cursos. Todas as capacitações são realizadas por voluntários ou paga pelos próprios policiais civis. “O equipamento do laboratório de informática, instituído na Academia, foi adquirido com muito esforço pela Secretária, mas o suíte, foi comprado pelo delegado”.

 

De acordo com o policial, até o final deste ano, serão realizados os cursos de PPE – Procedimento Policial Eletro, Inteligência Operacional e Alienamento Operacional.

 

Questionado pelo presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, sobre a construção da nova Academia de Polícia Civil, o delegado destacou que o principal objetivo é a construção do estande de tiro, que o processo já está sendo encaminhado. “Atualmente, a Polícia Civil de Alagoas não tem um estande de tiro. Existe uma parceria com Clube de Tiro no bairro do Benedito Bentes para essa finalidade”.

 

Porém, o delegado revelou que já existe um projeto para a construção de uma nova Academia bem equipada, no antigo DEIC no bairro do Farol, mas aguarda recursos federais.

 

O presidente do Sindpol solicitou ao delegado o projeto para fazer gestão na Câmara Federal.

 

Estiveram presente na reunião, além do presidente, Ricardo Nazário, a 2ª vice-presidente, Alerte Bezerra, o diretor Financeiro, Carlos José e o diretor de Esporte e Lazer, Fernando Amorim.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2018 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS